As 7 melhores dicas de alimentação pré e pós-treino

Os bons resultados da atividade física estão diretamente relacionados a uma dieta equilibrada. E não estamos falando só da reeducação alimentar, que é indispensável, mas também da alimentação pré e pós-treino.

Um erro muito comum e perigoso é treinar sem se alimentar direito. Esse hábito pode resultar em mal-estar, tonteiras, náuseas, quedas de pressão e até desmaios. Pra conseguir o máximo de desempenho, é preciso fornecer a energia que o corpo necessita pra trabalhar os músculos e manter o organismo funcionando com saúde.

Neste artigo vamos explicar por que é preciso comer antes e depois do treino, além de listar 7 dicas de alimentação pra seguir em cada etapa da atividade física. Vem com a gente!

A importância da alimentação pré e pós-treino

A queima de gorduras e o aumento de massa muscular é que vão trazer resultados de emagrecimento e definição do shape. O processo é mecânico, químico e físico. Como uma máquina perfeita, o corpo precisa de energia pra movimentar as engrenagens e responder ao treino do jeito certo.

Por instinto de autopreservação, o organismo sempre dá preferência pra atividades essenciais — como manter o cérebro funcionando e respirar. Os exercícios físicos e a prática de esportes demandam um gasto de energia extra, necessária pra estimular o corpo a priorizar a queima de reservas de gordura em vez do glicogênio presente nos músculos.

Essa busca enérgica ocorre durante e após o treino, por isso é tão importante se alimentar bem antes e depois da atividade física. O objetivo principal da alimentação pré-treino é dar energia ao corpo e manter os níveis de glicose no sangue dentro da normalidade, evitando picos de glicemia e fadiga.

Pode parecer estranho, mas depois do treino é preciso repor o que foi gasto ao longo dos exercícios. Se o corpo usou toda a reserva de energia e não recebeu nenhum alimento, ele vai buscar o glicogênio armazenado nos músculos pra manter o funcionamento do organismo.

Isso significa que boa parte do seu trabalho pra ganhar massa magra vai ser em vão. Ao comer após o treino você fornece o que o organismo precisa e estimula a aceleração do metabolismo, queimando mais gordura e melhorando os resultados do treino.

Jejum e resposta metabólica lenta

Jejuns prolongados atrasam o metabolismo, interferindo nos resultados dos exercícios — além de causarem mal-estar e fadiga. Quando o corpo percebe que vai ficar mais tempo sem receber nutrientes, ele faz um estoque de energia, dificultando a perda de peso. Quando a alimentação é regular, o organismo age de forma contrária, acelerando o metabolismo e dando disposição para a prática das atividades.

Quando comer durante o treino

A reposição de energia durante o treino só é necessária pra séries maiores do que duas horas. O corpo é capaz de armazenar glicogênio pra ser usado em atividades físicas que durem de 30 a 90 minutos. Por isso, atletas e pessoas que se exercitam por um tempo maior e com uma carga mais intensa precisam renovar a energia com carboidratos e proteínas.

Quem não está nesses grupos não deve comer durante a prática de atividade física, pra não comprometer o desempenho.

Dicas de alimentação pré e pós-treino

Veja a seguir a nossa lista com algumas dicas pra você transformar a alimentação pré e pós-treino em uma grande aliada.

1. Faça refeições leves no pré-treino

Escolha alimentos leves como pão integral, frutas frescas e secas, batata-doce e barras de cereal. Assim, você evita que o organismo fique sobrecarregado no processo digestivo, comprometendo a disposição para o treino.

2. Dê tempo para o corpo fazer a digestão antes do treino

A alimentação pré-treino deve ser feita entre 20 minutos e uma hora antes do início dos exercícios. Assim, você evita passar mal porque o estômago está cheio e consegue um desempenho melhor com a disponibilidade de energia.

O organismo não consegue fazer duas atividades ao mesmo tempo, por isso precisa de um período pra passar pelo processo digestivo e só depois se concentrar na distribuição de energia para as atividades físicas.

3. Prefira carboidratos complexos no pré-treino e carboidratos simples no pós-treino

Os carboidratos complexos são digeridos mais lentamente, fornecendo energia de maior duração e mantendo o índice glicêmico estável durante toda a série de exercícios. Os carboidratos simples, ao contrário, são de rápida digestão e repõem a energia na hora.

4. Coma proteínas no pós-treino

As proteínas têm papel fundamental na reconstrução das fibras musculares que se rompem durante as atividades físicas — essas microlesões são as responsáveis pelo ganho de massa magra. Assim, incluir no cardápio pós-treino as carnes magras, peito de frango, leite e derivados desnatados, como iogurtes e queijos, também vai melhorar os resultados e garantir maior equilíbrio e saúde.

5. Mantenha-se hidratado antes, durante e após o treino

O corpo perde água durante todo o processo, mas com maior intensidade no período de aumento da sudorese (processo de eliminação de suor). A baixa ingestão de líquidos pode levar à desidratação e deixar o treino menos eficiente, além de aumentar a chance de ter câimbras. De preferência, a hidratação deve ser feita com água, mas a água de coco, os sucos de fruta e as bebidas esportivas são boas opções.

6. Coma alimentos com termogênicos naturais

Os termogênicos elevam a temperatura corporal e aceleram o metabolismo, aumentando a quebra de moléculas de gordura pra fornecer energia ao organismo. Por isso, alimentos e bebidas que são termogênicos naturais — como o gengibre, a canela, a cafeína e o chá-verde — podem ser aliados no seu treino, aumentando o gasto calórico. Mas, como tudo na vida, devem ser usados com moderação.

7. Alimente-se a casa 3 horas

Manter o intervalo de 3 horas entre as refeições é uma estratégia eficiente pra ter sucesso no emagrecimento e/ou no plano de ganho de massa muscular. O organismo tem memória e vai limitar o gasto de energia — desacelerando o metabolismo — se as refeições forem feitas de forma desordenada.

Pra ter bons resultados com a prática de atividade física, é preciso manter também uma dieta equilibrada. Por isso, fique sempre atento à qualidade e quantidade da alimentação pré e pós-treino. Nenhum dos extremos vai trazer bons resultados, então, nada de treinar em jejum ou logo após as principais refeições. E, claro, beba muita água pra estar sempre hidratado.

Gostou do nosso post? Compartilhe com os seus amigos nas redes sociais!

Total
6
Shares

Deixe uma resposta