Jejum pré-treino: desvendando seus prós e contras com uma especialista

A prática do jejum antes do treino tem sido tema de debates e dúvidas entre aqueles que buscam equilibrar uma rotina agitada com a prática de atividades físicas. Para trazer uma visão esclarecedora, buscamos a expertise da nutricionista Nathalia Schnaak, que compartilhou insights sobre os benefícios e desafios dessa estratégia. 

Jejum antes do treino: a solução para a falta de tempo?

Nathalia Schnaak explica que o jejum pré-treino pode ser uma estratégia válida, principalmente para aqueles que enfrentam restrições temporais antes de se exercitar. Para quem se encaixa nesse perfil, a nutricionista salienta a importância da última refeição, geralmente o jantar, que deve ser rico em carboidratos.

“O jantar deve ser uma refeição rica em carboidratos, pois isso permite estocar glicogênio, uma reserva de carboidrato nos músculos e no fígado. Essa reserva é crucial para garantir energia durante os exercícios no dia seguinte”, explica Schnaak.

Prós do jejum pré-treino: ganho de tempo e agilidade

Um dos benefícios evidenciados pela nutricionista é a otimização do tempo. Para as pessoas com a agenda movimentada, a possibilidade de começar o exercício pouco depois de acordar facilita a rotina, diminuindo as chances de atrasos e transtornos ao longo do dia e aumentando a constância dos treinos. 

Contras do jejum pré-treino: desempenho e desafios na hipertrofia

No entanto, não são apenas vantagens. Schnaak alerta que algumas pessoas podem enfrentar dificuldades de adaptação ao jejum pré-treino, resultando em um desempenho físico inferior. Além disso, para aqueles que almejam o ganho de massa muscular, o jejum pode representar um obstáculo, pois pode dificultar o alcance da quantidade necessária de refeições ao longo do dia para suportar a hipertrofia.

A eficácia do jejum antes do treino varia de pessoa para pessoa, sendo crucial observar e ajustar a abordagem conforme necessário.

Adaptação como fator determinante

Em resumo, a decisão de adotar ou não o jejum pré-treino depende de diversos fatores, sendo a falta de tempo para se alimentar antes da atividade física o ponto central. Os benefícios incluem ganho de tempo e agilidade, enquanto os desafios apontam para possíveis limitações no desempenho e nos objetivos de hipertrofia.

Lembre-se: a chave para o sucesso reside na adaptação. Observar a resposta do corpo e buscar orientação profissional são passos essenciais para encontrar a abordagem que melhor se alinha ao estilo de vida e metas pessoais, promovendo um equilíbrio saudável é, claro, sustentável e sem sustos.

Baixe aqui o BTFIT (Android)

Baixe aqui o BTFIT (IOS)