Entenda por que o excesso de proteína na alimentação faz mal
Powered by Rock Convert

Uma das maiores dúvidas em relação à alimentação é se o excesso de proteína realmente faz mal. Afinal, o primeiro nutriente que as pessoas aumentam na dieta quando querem emagrecer ou aumentar a massa muscular é esse.

Presente nas carnes de todos os tipos, ovos, leguminosas, leite e derivados, a proteína também pode ser consumida na forma de suplementação alimentar. Por isso, fica bem fácil ultrapassar os limites da sua ingestão, né? Ficou curioso pra saber mais sobre esse nutriente tão importante? Então, continue a leitura!

Qual é a importância da proteína no organismo?

As proteínas participam de várias funções no nosso organismo, como transporte de oxigênio, no funcionamento do sistema imunológico, na contração muscular e outras. Elas também compõem os mais variados tecidos do corpo, sendo a matéria que forma os nossos músculos e pele, por exemplo.

Por isso, precisamos consumir proteínas todos os dias porque, caso contrário, o organismo retira do próprio corpo pra suprir o que falta no funcionamento e, desse jeito, perdemos massa magra.

Nos músculos, as proteínas funcionam como tijolinhos que fazem a reparação do tecido depois dos exercícios de força e é assim que ocorre a hipertrofia. Na pele, dão sustentação e elasticidade, evitando a flacidez. Já ouviu falar no colágeno e na elastina? São duas proteínas presentes na cútis que têm essa missão.

Os primeiros a sofrerem com a carência de proteínas na dieta são os cabelos e as unhas, que são compostos por elas. Depois, vem a flacidez da pele e dos músculos, além de anemia e outros problemas. Mas o excesso de proteína também não é um bom sinal. Você vai ficar sabendo o motivo disso ao longo deste post. Confira!

Quais problemas o excesso de proteína causa?

Como vimos, a proteína é muito importante para o organismo. Mas, como tudo em excesso faz mal, ela também não foge à regra. Se a pessoa tem predisposição genética pra um desses problemas, então, aí é que deve ficar mais ligado.

Ganho de peso

Cada grama de proteína tem 4 calorias, mas parece que as pessoas ignoram esse fato. Assim como o consumo de gorduras e carboidratos gera um aumento de peso, o mesmo acontece com esse nutriente.

O seu corpo precisa de uma determinada quantidade de proteína pra funcionar bem e suprir todas as suas necessidades. Caso você passe essa quantia, o organismo transforma o nutriente em energia. E, se você não gasta essa energia, ela vai ser acumulada em forma de gordura.

Osteoporose

A metabolização das proteínas gera uma carga ácida no nosso corpo. O consumo exagerado, então, deixa mais ácido ainda. Na tentativa de neutralizar essa acidez, o organismo retira o cálcio dos ossos, dando condições para o desenvolvimento da osteoporose.

Em contrapartida, a ingestão adequada de proteínas colabora, e muito, pra densidade óssea. Isso significa que ela ajuda a deixar os ossos mais fortes, o que só mostra o quanto o equilíbrio é fundamental.

Sobrecarga nos rins e no fígado

Provavelmente você já ouviu falar que excesso de proteína faz mal para os rins. Isso é bem verdade, já que esse órgão precisa filtrar a ureia da metabolização do nutriente. Quanto mais ureia, mais os rins trabalham. Essa sobrecarga pode levar às inflamações e cálculo renal.

O fígado também fica sobrecarregado porque pode não dar conta de quebrar todas essas proteínas a mais. Com isso, ele não consegue impedir que a amônia e outras substâncias tóxicas da metabolização das proteínas atinjam outros órgãos, como o cérebro. Ou seja, além de afetar a função hepática, há mais efeitos colaterais.

Qual é a quantidade certa?

Algumas consequências do consumo excessivo de proteínas são graves e, por esse motivo, é bom não ultrapassar o limite diário.

Muita gente ainda acha que pra ganhar massa muscular tem que comer muita proteína, mas, como sabemos, isso não é verdade.

A quantidade de proteínas recomendada varia de 0,8 a 2 gramas por quilo de peso corporal por dia. O que vai indicar a necessidade de uma quantidade maior ou menor é o tipo de atividade física que a pessoa pratica. Quanto mais pesada é a atividade, maior é a quantidade desse nutriente que a pessoa precisa.

Aliás, pra atletas de alta performance, o limite pode chegar a até 2,4 gramas de proteína diárias. Por isso o suplemento alimentar é tão utilizado, já que muitas vezes fica difícil consumir tudo apenas nas refeições. Mas, se você não faz parte desse grupo de pessoas, fique atento ao total de proteínas que consome diariamente pra não extrapolar.

Como consumir proteína de maneira adequada?

Bom, já falamos sobre a importância do consumo do nutriente e os problemas que o excesso pode causar. Mas como ingerir as proteínas pra ter todos os benefícios sem prejudicar a saúde? Aqui vão algumas dicas!

Contabilize todo os tipos de proteína

Quando falamos em proteínas, logo pensamos em carnes e ovos. Essas são as fontes de alto valor biológico, ou seja, que o organismo aproveita integralmente. Mas muitas pessoas se esquecem que existem outros alimentos que também contêm o nutriente. É o caso das leguminosas, como feijão, soja e grão-de-bico, e do leite e derivados, como queijos e iogurtes.

É comum as pessoas não contabilizarem as proteínas desses alimentos e, por isso, consumir uma quantidade maior que a necessária na alimentação. Por isso, não deixe de incluir esses grupos na sua conta.

Suplemente apenas com orientação

O Whey Protein, BCAA e outros suplementos alimentares são muito utilizados por quem pratica atividades físicas e são muito eficazes, mas é necessário adequar o uso à dieta pra não ter excesso de proteína.

Então, antes de tomar qualquer tipo de suplemento, consulte um nutricionista pra fazer o equilíbrio na alimentação e, assim, você ter o melhor do produto sem prejudicar a sua saúde.

Distribua em todas as refeições

Muita gente concentra as proteínas no almoço e no jantar, mas o certo é distribuir em todas as refeições pra não ter uma sobrecarga no organismo. Considerando isso, tente incluir porções moderadas de fontes proteicas ao longo do dia.

Aliás, isso é interessante até mesmo pra manter os níveis de insulina estabilizados, já que a proteína diminui o índice glicêmico das refeições. Por isso, ela também ajuda na saciedade.

O excesso de proteína pode acarretar em vários problemas de saúde que são graves em longo prazo, principalmente pra quem já tem predisposição genética. Por esse motivo, é importante prestar atenção no consumo desse nutriente pra evitar qualquer dano ao organismo.

Gostou do texto e quer ficar por dentro de outros assuntos como esse? Então nos siga nas redes sociais! Estamos no Facebook e no Instagram!